Campeonato de “Fazer nada” é sucesso na Coreia do Sul

 

Como começar esse belo post?

asins

Pois é virgens, quanto mais eu penso que não vou me surpreender com eles, mais eu me surpreendo.

Como funciona:

Várias pessoas ficam reunidas num local com juízes e uma série de regras que eliminariam as pessoas. Isso faria com que elas se esforçassem mais para se focar e aperfeiçoar sua habilidade em não fazer nadegas!!!

A Space Out Competition, como é chamado o evento dura 90 minutos e todos os participantes que não seguem a regra de “não fazer nada” são eliminados. Dá pra imaginar? Se você dormir, está eliminado. Achou algo engraçado e riu? Eliminado. Usou qualquer dispositivo eletrônico que trouxe consigo? Perdeu Playboy!!

Por isso, neste ambiente não há ninguém conversando, trocando mensagens, tirando selfies, andando de um lado para o outro… As pessoas fazem absolutamente nada. Cara, o pior que isso é sério! Tirando o narrador (sim, tem narrador) que acompanha “a vagabundagem” ao vivo e faz a cobertura para diversos estranhos que se entretêm assistindo. Não sei quem é pior, quem compete ou quem assiste. Se os participantes ficam desconfortáveis, eles podem usar placas para se hidratar ou ir ao banheiro. E os juízes ficam de olho em tudo. Quem acha que a tecnologia está completamente banida, está enganado. Para analisar a prova, os participantes usam sensores cardíacos que são medidos a cada 15 minutos para saber se estão bem mesmo. Quem têm a maior variação é eliminado. E assim vai até o fim da competição!

Ai você me pergunta: Quantos retardados participam disso?

O evento deste ano (2016), que aconteceu em Seoul, tinha apenas 70 vagas e mais de 2 mil pessoas, eu disse  2 MIL PESSOAS se inscreveram. E ele não aconteceu no fim de semana não, esse bando de sem noção foi em plena segunda-feira de manhã, Ta de sacanagem né!?!?!

 

Confira agora alguns fotos dessa eletrizante competição!

 

brisa 3

brisa1

brisa2

Diego Urameshi

Diretor, editor e host no Zoacao40, burro de carga na vida real e alcoólatra não assumido. Rio de Janeiro, Brasil