Coisas Que Você Provavelmente Não Sabia Sobre Strippers

Strippers – Onde Vivem E Como Se Alimentam, Hoje no Curiosidades do Z40

Para você que é aquele que adora jogar GTA para ver as mulheres Strippers rebolando em cima do personagem( do personagem e não de você seu gosto pervertido e tarado) ou que fica vendo filmes/novelas que mostram mulheres alegres e felizes rebolando em cima de rolas achando um bom trabalho para uma mulher que gosta de sensualizar, tenho que te dizer que as coisas não funcionam muito bem dessa maneira.

O Trabalho de Strippers pode ser muito lucrativo e rolar vários moneys, mas também é um trabalho que deixa as mulheres muito expostas ao acaso e irei citar algumas coisas que acontecem nessa profissão. Vou logo avisando que se você é frequentadora do “Clube Das Mulheres“, esse post não é para você porque eu vou destacar sobre o trabalho das mulheres e se você quer ver Rola, vai para o Xavier Vídeos.

 

Os Clientes Podem Ser Perigosos

Violência contra Strippers
Foto do Site iaB

Para aqueles que não sabem, o trabalho de Striper tem algumas regras em relação a interação da profissional com o cliente, uma delas é que não pode tocar na mulher à sua frente, que está deixando seu pipiu duro, porém sempre existem aqueles que são mais agressivos e agarram a dançarina ou exibem o tamanho do salário desnecessariamente( Quem entendeu, entendeu. Quem não entendeu, joga no Google). Além de ter aqueles que partem direto para a violência falando “Eu paguei para ver o seu corpo, então quero ver todo o seu corpo”( Se o cara morasse no Brasil iria se acostumar com o fato de pagar para ter asfalto e não poder nem ver sendo construido #TristeVida).

 

O Trabalho Pode Acabar Com O Corpo De Várias Maneiras

Salto Alto das Strippers
Imagem do Site Bolsa de mulher

Além de, em sua maioria, ficarem em cima de saltos altos, as dançarinas profissionais têm que ficar em pé por volta de 6 a 10 horas por dia, além de ter que ir em cadeiras e ficar se agachando para sensualizar o cliente e isso acaba com os joelhos de qualquer corpo.

Outro fator que acaba “matando” o corpo pelo trabalho é o fato de terem que ficar envolta de grupos que bebem muito ou que usam drogas, mas é a parte da bebida que gera maior impacto no organismo porque elas são obrigadas a beber no clube toda noite, logo que um homem que paga para uma mulher ser a acompanhante dele quer que ela acompanhe ele na bebida também e, se ela não fizer isso, pode parecer que o dinheiro que o cliente pagou foi desperdiçado. E se você quiser conferir a informação, você pode perguntar em clubes de Strippers sobre casos de doenças relacionadas a bebida que você vai encontrar.

 

Para Muitos Clientes, É Uma Forma de Terapia

Terapia Strippers

Nem sempre as pessoas vão em clube de Strippers para ver bundas e peitos remexendo na sua cara, as vezes vão apenas para conversar( É tipo você ir em um rodízio de carnes e pedir salada) e o que seria uma mulher sensual, se torna uma psicóloga ou até uma “amiga”.

Muitos caras vão para esses lugares para somente conversar e encontrar alguém que queria ouvir e quem trabalha lá tem que ter a percepção e aprender o melhor jeito para deixar o cliente o mais confortável possível diante da situação.

 

Elas Podem Ter Uma Variação No Salário

Dinheiro Strippers
sUs_angel/iStock/Getty Images

Sabia que Strippers pagam para ter um maior privilégio? Muitos clubes possuem taxas que variam dependendo do lugar onde a mulher vai se apresentar, o que faz com que ela não fique tão exposta mas também faz com que ela tenha que trabalhar mais para conseguir um bom salário e se ela não conseguir trabalham para que a taxa seja paga seja paga sem grandes problemas, perde dinheiro.

Um muito cheio de curiosidades sobre essas pessoas que fazem nossos caros amigos felizes e atentos. E você, quando foi a ultima vez que pagou para uma mulher te ouvir sem reclamar?

Logues

Um pobre homem que é explorado nesse site, também tem que organizar os erros que surgem como mágica e ainda postar um belo conteúdo com uma xícara de café de acompanhamento para o deleite dos leitores.