Sessão da Tarde – Surfistas Ninjas (1993)

Quantsu Malandros

O que acontece quando você mistura Surf, ninjas, videogame e figurantes tailandeses mal humorados. Nos outros países eu não sei, mas a Globo fez virar sucesso.

O Clássico da sessão da tarde de hoje é Surfistas Ninjas (1993), vindo na sequencia de filmes de ação e comédia dos anos 80/90, é um filme americano filmado nos EUA, Havaí (que também é território americano) e na Tailândia, de onde vem parte da bela fotografia e cenários.

O filme conta a história de Johnny (Ernie Reyes Jr.) e Adam, (Nicolas Cowan) dois jovens surfistas de Los Angeles que após serem perseg
uidos por ninjas assassinos e serem salvos por um caolho saradão, Zatch (Ernie Reyes Sr), descobrem que são descendentes e herdeiros da família real da bela paradisíaca e tropical Patusan, que havia sido tomada por ninguém menos que Coronel Chi (Leslie Nielsen), um mercenário estrangeiro que subiu ao poder por meio da força, e que apesar da maquiagem ruim, aparenta ser meio homem, meio maquina, essa parte também nunca fez muito sentido.

Os dois irmãos acompanhados pelo ex-líder da guarda imperial Zatch, seu jovial e atrapalhado amigo Iggy (Rob Schneider, um menino nesse filme), o policial Spence (Tone Loc) e a futura pretendente à esposa e par romântico de Johnny, Ro May (Kelly Hu) partem para Patusan em busca de libertar seu povo e assumir o trono que é deles por direito.

Segundo as lendas de Patusan o Jovem príncipe herdeiro Johnny, seria um guerreiro formidável, melhor que seu pai, e inacreditavelmente ele se torna um incrível combatente. Dominando chutes poderosos e golpes mortais… ninjas. Ai que está esse lance todo de ninja, não desce, os únicos que aparecem durante o filme… são os capangas do vilão, e não da pra chamar muito bem de ninjas, nessa época havia um gosto por colorir os ninjas, visto o clássico que logo falaremos aqui também “Ninja Americano”, onde cada ninja tem uma cor, e todas berrantes, não era uma exclusividade das produções americanas, no Japão em produções mais infantis os ninjas ganhavam suas cores também.

Mas nossos protagonistas não tem nada de ninjas, nem de surfistas, visto que as cenas de surf ou são feitas apenas no mar calmo ou em ângulo horrendos como visto na abertura do filme.

 

Prosseguindo….

Ao aportar na ilha, eles descobrem como o seu povo esta sofrendo e partem em procura de uma caverna mística, com armas místicas, tudo muito místico nesse filme. Após encontrar as armas sagradas com o auxilio de um macaco e um videogame que prevê o futuro, eles partem em pranchas de surf para derrubar o mestre do mal.

Uma batalha acontece, muitos figurantes fingindo lutar, um Rob Schneider correndo com espada, orientais gordos rolando por escadarias gigantescas e o Coronel Chi tendo problemas com agua. O Leslie Nielsen é uma figura, puta ator, achei que ele não pode ser tão engraçado quanto geralmente era, só pode ter recebido muita grana pra fazer esse filme, só assim pra fazer algo tão ruim.

E pra finalizar um musical, onde as estrelas da vez são novamente os figurantes entediados, um elefante e a musiquinha maneirinha dos Beat Boys “Barbara Ann”, sucesso nas paradas e nas praias de 1965 embalando o encerramento das nossas tarde de férias escolares.

Essa belezura de filme ainda rendeu um game, muito típico da época, como foi visto no filme o portátil da Sega – finado Game Gear – ganhou sua própria versão 8 bits de Surfistas Ninjas.

Galerinha Reunida

O interessante desse filme é que o nosso protagonista Ernie Reyes Jr também fez parte de um dos clássicos que já relacionei aqui na Sessão da tarde do Zoação 40, ele protagonizou Tai, o jovem oriental discípulo de Leroy em O Ultimo Dragão, onde no final do filme ele mostra suas incríveis habilidades de luta, hoje bem mais velho, ele atua como dublê tendo estrelado diversos filmes ao longo de sua carreira.

Para nossa próxima vez, vamos trazer algo também ligado ao oriente, mas dessa vez é uma adaptação, um clássico dos arcades e um dos pais do gênero beat’em up, Double Dragon, um filme pós-apocalíptico que nos mostra o perigo de usar anabolizantes e de produzir filmes sobre games.

Por hoje é só cambada

 

 

 

Diego Mamut

Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante, nascido homem, agora mamute, uma mescla de gostos, sons e sabores, uma poesia em forma de curvas um nerd em forma de bits, um homem em forma de pera.